“É a nossa luz, não nossa escuridão que mais nos assusta.

Nosso medo mais profundo não é de sermos inadequados.

Nosso medo mais profundo é de sermos poderosos além da medida,

Mas brincar de ser pequeno não serve ao mundo.”

Coach Carter

quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

segurança.

Não sei o que significa amar para outras pessoas.
Amar, para mim, é proteger acima de tudo.
É carinho, é companheirismo, mas a proteção está acima de qualquer coisa.
Acima da minha própria vida.

Um guerreiro precisa proteger, mas sem o que ou a quem proteger, sua vida perde o sentido.
A vida dele é guerrear, por alguém, por um ideal, por uma bandeira.
Os ideais se corromperam, as bandeiras se mancharam.
Eu preciso de alguém para proteger.

Sou forte, mas sem lutar, sou fraco.
Sem ser forte por alguém, sem ser um pilar, um porto seguro, uma redoma de segurança e conforto.
Sem ter alguém para repousar no meu peito e saber que está segura comigo.
Sem ser aquela pessoa para quem ela ligaria em qualquer situação.

Talvez eu esteja no lugar errado, na hora errada, talvez o que eu diga ou seja não faça mais sentido.
Talvez o que eu ofereça seja antiquado. Vivemos num mundo moderno demais, né?
Eu não me adaptei à isso, mas também não vou me adaptar.
Talvez haja alguém, por aí, tão antiquada quanto eu mesmo, ou não.

O tempo vai enferrujando minha espada, vai corroendo minha armadura.
O tempo vai enfraquecendo minha alma, sugando minha fúria.
O tempo vai sufocando meu espírito guerreiro, manchando minha honra.
O tempo me mostra que meu tempo passou.

Harakiri.

Nenhum comentário:

Postar um comentário