“É a nossa luz, não nossa escuridão que mais nos assusta.

Nosso medo mais profundo não é de sermos inadequados.

Nosso medo mais profundo é de sermos poderosos além da medida,

Mas brincar de ser pequeno não serve ao mundo.”

Coach Carter

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Vício linguístico

Eu prometi que não falaria mais sobre você
Prometi que não deixaria outra pessoa ver o brilho dos meus olhos ao mencionar seu nome
Prometi que não te tornaria mais real do que é repetindo nossa história.
Eu prometi, e me traí mais uma vez.

Novamente me vi falando sobre você
Novamente me pus a te descrever, a brilhar os olhos
Arrepiei novamente me lembrando de cada detalhe de tantos momentos
Mais uma vez alguém conheceu a mulher mais incrível que já conheci através das minhas palavras.

É difícil não falar sobre algo que se gosta tanto
Principalmente se alguém se põe a te ouvir com tanto interesse
Te olha no fundo dos olhos e entra de cabeça na sua história.
E a cada vez que eu repito tudo isso, eu revivo e me sinto muito bem.

Me sinto confortável novamente por um tempo, até ficar sozinho de novo.
Até pensar que você não está mais aqui e relatar isso mais uma vez foi apenas uma masturbação,
Uma sarrada sozinho na ideia que criei a partir da minha percepção, segundo Descartes.
E esse esfrega esfrega se mantém por horas, trazendo a tona partes da memória já perdidas.

E quando falo novamente, as pessoas me olham tentando entender porque acabou.
Elas se perguntam da mesma forma que eu me pergunto.
Será que existe algum detalhe que eu deixo passar toda vez que menciono você?
Algo que justificaria um final tão abrupto? Tão violento?

Talvez a beleza de todos os momentos tenham sido tão intensas que as falhas não se fixaram.
Em todas as outras pessoas eu me lembro mais dos enganos do que dos acertos.
É o que consegue me manter afastado delas, mesmo na mais extrema carência,
mas não consigo me recordar de nenhum erro ou incompatibilidade que supere aquele amor.

Hoje, novamente me pus a falar sobre você.
E a cada vez que falo de você, é mais real, mas ao mesmo tempo mais tranquilo.
Uma ideia que meu coração aceitou e absorveu. O amor pelo amor, sem exigências.
O amor que te ama acima de tudo, acima da sua presença, embora ela seja sempre requisitada.

Antigamente eu conseguia chorar e pensava que isso me traria conforto.
Achava que você escorreria pelas minhas lágrimas e iria se soltar da minha alma.
Mas hoje eu somente sorrio e conto como se fosse uma aventura perfeita.
Uma aventura que já valeu toda a minha vida, uma aventura que eu viveria para sempre.

Hoje eu sentei e falei sobre você, falei seu nome, profanei o descanso do nosso amor.
Descrevi seu sorriso, seu olhar, senti falta do seu abraço, meu mundo num espaço tão pequeno.
Tentei colocar em palavras tudo o que você significa, mas falhei pela enésima vez.
Mas ao olhar nos meus olhos enquanto eu falava, minha ouvinte viu tudo o que precisava:

Ela viu você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário