“É a nossa luz, não nossa escuridão que mais nos assusta.

Nosso medo mais profundo não é de sermos inadequados.

Nosso medo mais profundo é de sermos poderosos além da medida,

Mas brincar de ser pequeno não serve ao mundo.”

Coach Carter

quinta-feira, 3 de novembro de 2016

papel marginal





Escrevo em guardanapos como um retirante em seu diário.
Vou deixando as coisas para trás. Bem aos poucos me livrando do que pesa.
Desenho no papel apenas o que quero levar comigo.
Escrevo para viver, embora não viva disso. Escrevo para me anestesiar.

sexta-feira, 28 de outubro de 2016

sexta-feira, 21 de outubro de 2016

a pequena rosa



"E nenhuma pessoa grande jamais entenderá que isso possa ter tanta importância."

Hoje fazem 365 dias que eu não te vejo, não sinto seu cheiro, não toco sua pele.
Hoje comemoro a minha 365ª pequena morte diária.
Hoje eu ultrapassei 5 graus desse ciclo vicioso que é pensar em você.
Hoje marca um ano do que me parece ser eterno.

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

Guerra contra as drogas?





As pessoas não se viciam nas drogas, ou nos remédios, elas se viciam na fuga, na anestesia da vida.

Alguma coisa muito errada não está certa na nossa geração.
Na verdade, na vida inteira, mas está pior ainda.
As pessoas se tornaram ilhas, se tornaram solitárias junto a todas as outras.

domingo, 25 de setembro de 2016

sensações

Hoje acordei com a estranha sensação de que você iria me procurar.
Levantei com a sensação de que chegaria uma notificação sua a qualquer momento.
Continuando uma conversa antiga, me contando alguma novidade, qualquer coisa.
Eu tive certeza de que você iria me chamar, apostaria minhas fichas nisso.

sábado, 24 de setembro de 2016

vazio cotidiano



Todos os dias eu chego em casa e sinto falta de te falar como foi o meu dia.
Te falar os apertos pelos quais passei no meu serviço, as pessoas que atendi.
Todos os dias eu chego e fico pensando em quem compreenderia o que quero dizer.
Quem reagiria da maneira correta às minhas histórias, quem entenderia a sensação.

sexta-feira, 23 de setembro de 2016

Vício linguístico

Eu prometi que não falaria mais sobre você
Prometi que não deixaria outra pessoa ver o brilho dos meus olhos ao mencionar seu nome
Prometi que não te tornaria mais real do que é repetindo nossa história.
Eu prometi, e me traí mais uma vez.

terça-feira, 13 de setembro de 2016

Continue a nadar...

Fazem alguns meses que não conversamos.
Longos meses. Tão longos quanto anos, décadas.
Eu sinto vontade de te chamar todos os dias, a todo momento.
Só você me entendia, me entendia sem que eu precisasse falar.

sábado, 10 de setembro de 2016

a pedra filosofal

"Você vai permanecer viva em meus textos, por meio das palavras que dançam no papel, construindo a imagem da metáfora do que um dia foi você." Rebeca Vilaça

Você se tornou imortal.

Imortal nos traços que fiz no papel.
Imortal nas linhas que te escrevi.
Imortal no espaço ideal que nunca deixará de existir.
Imortal nos meus pensamentos que ecoarão para sempre no universo.
Imortal.

segunda-feira, 5 de setembro de 2016

ciclo da água

lá fora está uma noite tranquila, quente, escura e normal como todas as outras,
mas aqui dentro tem chovido bastante.
chovido a muito tempo e transbordado por todas as partes.
caído uma tempestade que negligencio a meses, talvez anos,
e agora estou em estado de emergência.

quinta-feira, 1 de setembro de 2016

Have you no idea that you're in deep?

Tenho me dedicado a te esquecer, mas isso está tornando minha vida um inferno.
Não me basta apenas não pensar em você e não procurar saber como você está.
A falta de pensar em você está transformando minha vida em um segundo inferno.
Está me puxando novamente para o vazio, sem qualquer perspectiva ou vontade.

domingo, 21 de agosto de 2016

3 a.m.

Todas as noites eu ainda abro sua conversa às 3 da manhã e espero até 3:05 para ver se seu status vai mudar para online. Parece bobo, mas nesse momento eu sinto como se fôssemos só nós dois no mundo. Como se você tivesse entrado só para me mandar uma mensagem secreta, me lembrando que você está aí do outro lado, me dizendo o porquê de continuar respirando.

quarta-feira, 10 de agosto de 2016

Quantas vezes você deve ter que repetir uma frase até que ela não te afete mais?

minha quimera

"Você ainda me ama?" Ela me pergunta no intervalo das aulas, mas não quer ouvir a resposta.
"Você nunca saberá." Respondo me contendo para não expressar nos olhos o quanto sempre a amei.
"Por favor, me deixe saber." Um sorriso tímido estampa seu rosto, disfarçando o medo da resposta e o constrangimento da situação.

quarta-feira, 3 de agosto de 2016

rascunhos da madrugada

É tudo tão pesado às vezes, sabe?
Tão difícil de lidar.

Não sei se a vida deveria ser assim.
A gente só vai seguindo, tem momentos felizes, mas talvez a felicidade plena não exista quando se está sozinho.
Tudo é feito para ser dividido, compartilhado com qualquer pessoa que seja.
Alguém para vibrar e chorar com você.
Alguém para somente ouvir calada o que você tem a dizer.
Alguém para te dar um conselho que ela mesma não consegue seguir.

terça-feira, 5 de julho de 2016

ensaios de um medo


Hoje finalmente choveu. Já era de se esperar, o tempo está fechado há dias, mas somente hoje os ventos trouxeram a tão esperada chuva.
A tempestade me deixou preso na faculdade, já que eu era o único motociclista da turma. Mal havia começado o curso e eu já sentia todo o peso do mundo sobre minhas costas. Sempre sumia da visão de todos durante os intervalos - tanto para descansar quanto para evitar situações.
Estava sempre evitando alguns olhares e situações constrangedoras: minha ex-namorada estava na minha sala, juntamente com aquela garota.

segunda-feira, 20 de junho de 2016

abstinência

alguns escrevem para viver, outros escrevem para não morrer, sabe?
afasta a loucura, te ajuda a explodir um pouquinho de cada vez, sem se queimar e sem desaparecer

eu? eu não sei exatamente porque eu escrevo
talvez para não ficar louco mesmo
talvez para compensar minha inabilidade para outras coisas na vida

quinta-feira, 16 de junho de 2016

Nota mental:

Eu ainda me lembro do sorriso dela...
Faz alguns anos, mas eu me lembro bem.
Me lembro da boca dela, daqueles lábios que carregavam alguns dos melhores beijos que já provei.
Me lembro daquela cintura onde meus braços se aninhavam enquanto estávamos em pé no ônibus.
Me lembro do olhar dela sempre tentando me decifrar.

Me lembro de como gostava de brincar com ela, de fazer raiva.
"Bibi", eu dizia com frequência só para vê-la corada, odiando e amando o apelido e a forma terna com que eu o pronunciava.
Me lembro de quando ela realmente apelava com algo e mudava o tom da voz, e então eu a beijava somente para disfarçar meu desconcerto e fingir ter controle da situação.
Me lembro de como ela sentia prazer em estar comigo e como eu sentia prazer em estar com ela.

Me lembro de tê-la entregue em meus braços trêmulos.
Me lembro de fingir saber o que estava fazendo quando, na verdade, eu estava apavorado.
Me lembro de não ter dito a ela o quanto aquilo representou para mim, o quanto foi especial.

Mas me lembro principalmente de não ter agido da maneira certa.
Me lembro de ter me escondido atrás da indiferença para parecer forte.
Me lembro de não ter me permitido me entregar a ela como gostaria.
Me lembro de ter tido medo de me apaixonar, de ter fugido dela, de ter fugido de nós.

É interessante pensar que eu superei quase tudo na vida, exceto ela.
Você foge do sentimento, mas ele te pega do mesmo jeito, porém tardio, porém mascarado, porém já nasce póstumo.
Na vida tudo tem uma lição, e com ela eu aprendi que quando você não vive tudo o que tem para viver, o remorso te pega desprevenido.

Alguns anos se passaram, algumas garotas se passaram, mas constantemente volto a pensar nela.
A garota das anotações mentais.
A garota do lacinho vermelho.
A garota que meu pai chamava insistentemente de "Branquinha" sem que ela nunca soubesse disso.
A garota que tive nas mãos e deixei escorrer por entre os dedos.

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2016

Tapete

Você sabe como é. A gente vai levando a vida como se estivesse tudo bem.
Vai jogando os lixos para baixo do tapete sonhando com o dia em que irá se esquecer que ele está lá.
Sempre nos disseram que o tempo é o melhor remédio. Te faz amar, te faz esquecer, te faz mudar.
E a gente vai vivendo. Mas...
Mas.

segunda-feira, 11 de janeiro de 2016

desancorando emoções

Sabe aquele final que você nunca espera? Aquele último adeus?
Aquele "eu te amo" em vão?
Eu queria apenas que não fosse tarde demais para dizê-las, e nem tão cedo.
Queria apenas que fosse "just in time" para tê-la aqui.