“É a nossa luz, não nossa escuridão que mais nos assusta.

Nosso medo mais profundo não é de sermos inadequados.

Nosso medo mais profundo é de sermos poderosos além da medida,

Mas brincar de ser pequeno não serve ao mundo.”

Coach Carter

terça-feira, 12 de novembro de 2013

E depois o vazio.

Felicidade é um sentimento. Amor, Paixão, Tristeza, Angústia, Raiva... são sentimentos.
Mas e o nada? E o que você sente quando queria estar sentindo qualquer dessas coisa?
Nem que seja dor ou raiva, qualquer motivo para parar e saber o que está acontecendo.

É interessante quando olho pra trás e vejo todas as pessoas de quem já gostei.
Tantos sentimentos bonitos, tantas palavras escritas, gestos concretizados...
Todos descartados, negligenciados, dilacerados e jogados em mim como pedras.

Tantos sonhos, tantos desejos, tantas coisas que agora nem sei se existem.
Acho que a pior dor que existe é de quando se perde a fé. A fé no que é belo, no amor.
Tantos filmes, tantos livros, tantos atos, em nome de algo que nem sequer existe.
Tantas músicas, tantos poemas, poesias, cordéis e sonetos. Tantas palavras.

É estranho como que ainda escuto algumas músicas e me pergunto o motivo de tudo.
Até do "sofrimento" da paixão eu gostava. Gostava da tensão, do medo, da dúvida.
E agora é tudo tão automático. Tão frio. Tão gentilmente orquestrado sem se entregar.
Será que algum dia vou me jogar de novo? Encontrar uma razão para o nascer do sol?

Todas as noites eu fecho os olhos e imagino onde está tudo o que sonhei.
Todos os amores que imaginei, os momentos, os olhares e sorrisos e beijos.
Fico imaginando se algum dia existirá um: "Você está linda, meu amor."

Aquele vestido vermelho, aquele cabelo solto, suavemente descendo as escadas.
Degrau por degrau, com um olhar que me diz, sem palavras, o quanto me ama.
Que me diz tudo o que um homem precisa ouvir para ser o melhor que puder ser.

Tão doce quanto quente, tão carinhosa quanto guerreira, tão amável.
Aquela mulher que me leve a sonhar, a viver por ela, a fazer tudo por nós.
Alguém que me leve a cantar, sem saber a letra, sem medo, sem vergonha.
Que eu cante apenas por saber que ela existe, que é a minha garota.

Alguém que me faça amar a vida de novo e que preencha o vazio que me agora me mata.
Que toque minh'alma com carinho e faça com que a tudo tenha algum sentido de novo.
Que desperte em mim o desejo que agora me falta. O calor, o amor, o prazer, a paixão.
Que se entregue a mim, como me entregarei a ela, para sermos, então, uma só alma.


Até lá, vou seguir minha vida, sendo corroído por este ácido. Essa maldição.
Este peito dilacerado em busca de cura, de conforto, de paz, de esperança.

Nenhum comentário:

Postar um comentário